sexta-feira, 12 de março de 2010

Pedido de Exoneração - Parte 2

Felizmente, não deu pra evitar. A gloriosa polícia civil do Estado de Minas Gerais perdeu mais um de seus policiais. Nada demais. Apenas outra vaga a ser preenchida no edital do próximo concurso. Foi só um escrivão de polícia que, diante de uma história pautada em excesso de trabalho, alguns momentos engraçados e muito, mas muito sofrimento, acabou de deixar a corporação sem sequer ser ouvido.
Há de convir que as marcas que ficaram no meu coração e pelo resto do corpo, dificilmente serão apagadas.
Foram noites revirando na cama. Os dedos aprenderam a trabalhar mesmo contra a minha vontade. E os olhos, esses nunca mais serão os mesmos.
O meu sonho de ser funcionário público, de ter estabilidade e uma vida digna, foram transformados num grande e temeroso pesadelo.
Ao abdicar os amigos, família e tudo mais para construir outra vida por causa do trabalho em regime escravo do governo, acabei perdendo parte da minha identidade, do meu jeito de ser, da minha ambição natural. Tornei-me alguém mais padronizado, alienado e menos humano, como eles querem que todos sejam.
Fiz quase tudo que afirmei não me dispor. Cometi mais erros do que acertos. Quase deixei de lado a vontade de viver pelo sacrifício de intermináveis histórias, absurdos registros e tremendas torturas, das quais não espero (e nem quero) recompensas. Fui super herói e ajudei a prender alguns bandidos. Fui medíocre, ao ajudar a lei para encarcerar alguns inocentes.
Ainda sinto dores, principalmente nas costas e na consciência, pelas intermináveis horas sentado na frente do computador. A frieza e a indiferença quase me fizeram esquecer como era chorar e ficar arrependido.
Injustiça, corrupção, impunidade, esperança, tudo isto finalmente acabou.
Só sei mesmo é que estou tranqüilo poque de tudo tentei, fracassando e desistindo, morri na praia.
Perdedor, hoje posso fechar meus olhos e não preciso pensar em mais nada. Os finais de semana voltaram a existir. Tenho que novamente temer um julgamento ao invés de julgar atitudes dos outros. Voltei a ser mortal, a estar do lado do qual nunca devia ter saído, a fazer parte da sociedade que respeita a imortalidade, o poder e a ganância daqueles tidos como deuses, mas que mais se assemelham aos demônios. Estou sorridente por novamente ser refém de regras, de um sistema com lacunas, graves falhas, que encobertam e escondem uma porção de coisas por debaixo dos panos.
Salve, salve... a gloriosa! Foram dois anos e um grande aprendizado.
Respiro fundo. Estou exonerado. Aqui recomeça a minha chance, a minha vida. Sem armas, algemas, sem histórias, nem tormenta ou medo... apenas com liberdade, ainda que tardia.

Obrigado a todos aqueles que me acompanharam durante todo esse tempo. Quem sabe um dia eu volte a escrever...?
Por enquanto, sigo com outros planos. Pretendo transformar o blog num livro e darei notícias!
Aguardo por comentários e despedidas!

O depoente

6 comentários:

Anônimo disse...

Poxa cara, também sou escrivão. Tenho dezoito anos de cartório. Errei muito também. Dia desses li num blog a frase que quase parafraseava um ditado: A justiça tarda, mas tarda mesmo. E foi na polícia que vi isso de perto. Já comentei com alguns amigos que num balanço de final de mês a polícia tinha me dado mais benesses do que desgosto. Mas fui refletindo que tinha dito, acho que é a cerveja me faz esquecer as dores. Refleti e como um bovino que no final do dia regurgita o capim, me pus a novamente pensar e acho que fui infeliz na frase. Na maioria das delegacias só encontrei gente despreparada e desinteressada com o trabalho. Fiz a coisa mais errada que poderia ter feito. Mostrei que tinha competência. Ali dei um tiro no pé com uma 45 e ainda com ogiva expansiva. Quando mais os colegas procuravam um barranco para encostarem, os chefes me procuravam para soluções de problemas que cabiam a outros a solução. Relatórios de investigações que partiam do nada e a nada chegavam, escrivães que se detinham a detalhes nas oitivas, coisas que não tinham pertinência com nada e pra qualquer coisa me chamavam pra resolver seu entrave mental. Trabalhei com aquilo que as prostitutas produziram de pior, seus filhos. Esses dias participei de uma oitiva que envolvia crime de menor potencial ofensivo, com laudo médico apontando lesão leve e obviamente dependendo de representação. Chamado a falar, a vítima disse querer prestar tão somente um depoimento e não a representação. O anencefálico do delegado quaser teve um parto normal, expelindo o próprio cérebro pelo nariz. A vítima já estava com a bolsa escrotal inflada com aquela história e queria por um ponto final e o mané insistia para uma representação. Por fim fechou a audiência com o máximo da inteligência que cerca tais delegados de polícia: "Isso só tem a desprestigiar a justiça" O débil não sabe que na maioria das vezes são deputados e senadores que fazem leis? Que são o reflexo daquilo que, acredito, pensa a sociedade. Enfim, todo sucesso a você, com essa veia de escritor que tem e talento nato para as palavras. Eu sigo daqui, das bandas do Rio Grande, pertinho da serena Colômbia e da calma Planura, urdindo o meu momento de mandar uma cópia da sua despedida, mas com minha assinatura no final. Seja feliz, apenas pense que o universo se encarregará de fazer concretizar seus ideais.

Anônimo disse...

Puttz velho, não acredito! Com certeza a polícia civil perdeu um de seus melhores homens. Felizmente foi para o seu bem. Estou tentando ser escrivão aqui em SP, mas quando leio seu blog, fico pensando em que tipo de pessoa eu posso me transformar exercendo esta função. Aprendi que essa história de que cada um tem que fazer sua parte para mudar o sistema é pura Balela. O sistema não vai mudar nunca! Muito trabalho, miséria de salário, muita cobrança e pouco reconhecimento. Esse é o tal funcionalismo público. Vaidade de uns, Ilusão de outros. Até quando meu Deus? Como não se corromper? Sucesso nessa nova fase de sua vida. Deus te ilumine grandemente!!!

sandro-csa disse...

Caro Depoente, certa vez comentei aki no seu espaço que eu tinha um sonho de infância que era ser escrivão, pois eu queria seguir o legado do meu avô que era escrivão. Pois bem, lendo seu blog e alguns outros vi que a realidade não é como eu acreditava. Percebi que, as polícias estão TOTALMENTE DESAMPARADA e que os policiais estão entregues a própria sorte. Não quero isso pra mim, não quero viver com medo, não quero ser escravizado, não quero ser humilhado e nem quero ser infeliz trabalhando em uma instituição desamparada.
Só tenho a te agradecer por ter me ajudado a enxergar a dura realidade que a polícia se encontra.

Sobre a sua saída não me preocupo pois sei que vc é um homem honrado e esforçado. Logo logo vc vai ser novamente um funcionário público, novamente com estabilidade, mas com um salário melhor e uma função realmente respeitada ou será aquilo que vc sonha ser.

Boa sorte na nova jornada. Te admiro MUITO mesmo sem te conhecer.

Deus te abençoe.

Att.

Aspirante em SP disse...

Sou aspirante ao cargo em SP (aprovado, mas ainda não empossado).

Suas palavras são como agulhas que penetram e injetam algo que não sei dizer, pois ainda estou na fase dos "sonhos".

Espero que, como um mártir, seu exemplo ajude aos próximos no encabeçar dessa carreira.

Sucesso é o meu desejo sincero para ti.
Um abraço!
EP/SP - 2010

Anônimo disse...

Eu Pago meus impostos a quem devo recorrer?

Dr. Guaraci, e seu Chefe Reginaldo e o chefe dos escrivaes,
se utilizam das Viaturas Descaracterizadas para passeios viagens e locomoçoes diversas, os Palios Vinho e o Branco, nao existe chefia pois o novo chefe nao quer que ninguem seja preso, Os disque denuncias sao Maquiados, Os BOs nao sao investigados, Todas estatiscas e serviços sao Forjados, viaturas alegoricas ficam estacionadas num Corredor ao lado do DP, as chaves em poder do chefe;
Quem quiser pode fazer uma visita a qualquer Hora do dia e constatar a veracidade desta denuncia.
Sou um Cidadao inconformado moro e trabalho na area do 40ªDP, pedi ajuda da prefeitura, da PM e da Delegacia, tem um marginal que a mais de um ano montou um barraco na calçada em frente a meu comercio na Rua Carambei altura do 290, la ele leva menores meninos e meninas, usam drogas e as vende as vezes a PM o aborda mas nada demais acontece, quando pedi ajuda dos policiais civis me informaram que nada podiam fazer pois nao podem ir para rua sao proibidos de Trabalhar, me deram esta lista que simplesmente ao verificar confirmei ser veridica, pois qualquer um vera nos locais citados que há trafico e jogatina, simplesmente um absurdo estou aterrorisado posso morrer por publicar tal coisa, onde vamos parar?

em media R$100.00 por Maquina
Alexandre Fuzaro, 215 -4 mq
Alfredo Viemer, 338-6 mq
Antonio Munhoz Bonilha, 433-9 mq
Carolina Soares,265- 3 mq
Cel, Euclides Machado, 30- 6 mq
Celestino Bourrol,1004-8 mq
Dep, Emilio Carlos, 1043-4 mq
" , 113- 2 mq
" ,1143-12 mq
" ,1145-6 mq
" ,1147-4 mq
" ,181- 5 mq
" ,349- 8 mq
" ,alt 100 -8 mq apos as 20:00hs tambem tem trafico
Eduardo Luiz Trindade, 140- 6 mq
Elias Gannam, 78-4 mq
Nsa Sra do O, 1800- 3 mq
Celestino Bourrol, 100- 9 mq
" , 1000- 5 mq
" , 1002- 6 mq
" , 1073- 3 mq
" , 1500 - 5 mq
Prof Dario Ribeiro, 1030-4 mq e trafico apos as 18:00hs
" , 900- 3 mq
Renascer, 42 - 8 mq
Rua Nove, 80- 2 mq
Via 30, 27 - 4 mq
Augusta Berta, 165 - 9 mq
Oswaldo Casella, 56 -3 mq

Abaixo as Biqueiras acertadas R$3000.00 por biqueira sendo os Traficantes ditos Patroes-
Lira-Fabio-Galinha ou Truman- Ney-Claudia-Beterraba-Ribamar-Alemao-Dito-Lêlê,,, Rua:
Alberto Schiesse,55-61
Amelia Gonçalves,228
Carolina Soares, 836
cel Joaquim de freitas, 324
Clemente Ferreira, 151
Dario Ribeiro, 600
Domiciano Ribeiro, 812
Dr. Mario Pinto Serva, 266
dr. Sebastiao de Lima, 231
Dulcineia, 37
Duplo Ceu, 244
Eduardo Luiz Trindade, 138
Frederica Brum s/n
general Tasso Fragoso, 45
Glauco Velasquez,312
Jeronimo dos Santos, 13
Joao de Caldas, 30
Joaquim Afonso De Souza, 146
Lima Verde, 130
Luigi Tomazini, 28
Matias Abreu,23
Miguel Gustavo, 42
Otaviano Alves de Lima, 6698 CDHU carrefour Limao
Pioneiros, 120
Piracanjuba, 305
Samarita, 560
Sampaio Correia, 520
Trav, Leocadia Alba, 237
Urumila, 129

Espero que alguem veja.

espiritoutil disse...

Sua visão de mundo serve para diagnosticar quanto o problema é grave.
DEUS está te vendo e confia nas ferramentas mais preciosas que ele próprio colocou no mundo para melhorá-lo.
A ferramenta mais difícil de se produzir é um homem que segue o caminho do bem, qualquer pai sabe dessa verdade tão grande.
Neste momento, mesmo que você não saiba, você é uma ferramenta divina.
Nada é mais precioso do que um homem com senso moral apurado.
Espero que você acredite que ele não acabará o mundo com fogo em 2012, pois é isso que pensam os que não tem coragem para reagir.
Sabemos que não adianta inventar corregedoria melhor, ou Gaeco mais eficiente se os homens quizerem pensar antes em si mesmos do que na coisa pública.
Sei que existem Delegados que não se corrompem e não são preguiçosos.
Sei que eles sofrem por verem melhor do que qualquer outro, onde exatamente está o foco da sujeira.
Confio que o mundo mundará baseado em você e nestes homens.
Não desista. Saindo ou ficando na polícia, continue acreditando no sonho.
Com 18 anos de polícia, sem nunca ter tirado um só dia de dispensa de serviço, sem nunca ter sido indicado para promoção por mérito, por não fazer parte nunca da "panela", continuo estudando os meandros da falência da polícia.
Hoje vejo quanto são pequenos os homens que se deixam levar pela revolta, pela ambição desmedida, pela vaidade, pelo poder, etc.
Nenhum deles tem o conteúdo moral que você recebeu no berço.
Pode não parecer mas são aleijados.
São homens pequenos.
Acredite no poder do bem, unido por tudo que existe de mais correto, movido pela inteligência e sentimentos de pessoas vivas, pois junto a isso Deus coloca um dedinho para dar impulso.
É essa a massa crítica.
Para que o mal vença, basta que os bons se omitam.
A humanidade apenas começou.
Temos 10.000 anos de história, sem cultura, sem nada de escola, vivendo somente a violência das guerras.
Sempre toda a população foi analfabeta, ao menos analfabestismo funcional, e ainda é assim até hoje.
Mesmo com o pouco de estudo que a população tem na época atual, o mundo foi mudado radicalmente no último século no sentido do bem.
Imagine como era feito um APFD há cem anos atrás.
Se pegassem um escrivão revoltadinho como você! Ummmm, táva na água da salsicha!
Estaria julgado e condenado antes de ser preso.
Portanto meu amigo.
Acredite no poder da mudança.
Mas somente poderá transformar as coisas mais difíceis aquele que se dedicou a entender, por dentro, os complicados sistemas de ingerências e interesses, e, como cada coisa afeta as regras que deveriam ser corretas.
No fim você verá que o "sistema" já começa doente.
Mas só você será capaz de ver como começá-lo de uma forma mais sadia.
Nenhum jornalista ou "especialista" em segurança pública (?) irá perguntar a sua opinião.
Mas Deus utilizará a ferramenta Dele, agora mais aperfeiçoada e valiosa ainda, de acordo com a vontade Dele, para iniciar a mudança, que nunca ocorre do dia para a noite.